Atrizes Unem-se em Protesto Na Passadeira Vermelha de Cannes

O momento foi liderado por Cate Blanchett e contou com a presença de 82 mulheres da indústria cinematográfica. Por: Vítor Rodrigues Machado -- Imagem: © GTRESONLINE.

Tudo aconteceu no passado sábado, dia 12 de maio, à tarde, antes da estreia do filme Girls of the Sun. Na passadeira vermelha do Festival de Cinema de Cannes, 82 atrizes uniram-se num protesto simbólico contra a desigualdade salarial (e de tratamento) entre homens e mulheres na indústria cinematográfica.

Este grupo que contava com a presença de nomes como Ava DuVernay, Kristen Stewart, Salma Hayek, Marion Cotillard,Léa Seydoux, Patty Jenkins, entre muitos outros, era liderado por Cate Blanchett, que do cimo das escadas do Palais declarou:

«Nestes escadas, hoje, estão 82 mulheres que representam o número de realizadores do sexo feminino que subiram estas escadas desde a primeira edição do Festival de Cinema de Cannes ,em 1946 [há 71 anos]. No mesmo espaço de tempo 1688 realizadores do sexo masculino subiram as mesmas escadas. Nos 71 anos deste mundialmente conceituado festival existiram 12 mulheres no seu júri. A prestigiosa Palma de Ouro foi entregue a 71 realizadores homens – um número demasiado grande para poder mencionar todos – mas apenas a duas mulheres: Jane Campion, que está presente em espírito e Agnès Varda, que está aqui connosco hoje».

O momento continuou, com Blanchett a acrescentar: «O factos são firmes e inegáveis. As mulheres não são uma minoria no mundo, mas o estado atual da nossa indústria diz o contrário (…) hoje estamos juntas nestas escadas como um símbolo da nossa determinação e compromisso com o progresso». Terminou o discurso afirmando: «Reconhecemos todas as mulheres e homens que lutam para que tudo mude. A escada da nossa indústria tem de ser acessível a todos. Vamos subi-las.»

Este momento foi planeado pelo movimento francês 5050×2020 (em parceria com o norte-americano #Time’s Up) que no site, propõe várias medidas para resolver este problema até ao ano de 2020. São exemplo a criação de conselhos de direção igualitários, bem como a criação de um observatório para monitorizar a igualdade na indústria cinematográfica francesa.