Topshop Deixa de Separar as Secções dos Provadores Por Género

A medida foi tomada depois de a marca ter recebido uma queixa de uma cliente transgénero. Por: Vítor Rodrigues Machado -- Imagem: © Instagram.

Não se espante se de agora em diante entrar numa das lojas Topshop espalhadas pelo mundo (menos em Portugal, onde, infelizmente, ainda não existe nenhuma) e não encontrar um provador só para mulheres ou só para homens. Isto porque a marca de roupa britânica decidiu por fim a esta divisão, depois de ter recebido a queixa de uma cliente transgénero, a quem foi vetada a entrada à área dedicada ao sexo feminino, na loja em Manchester.

De acordo com o testemunho da vítima partilhado (que no caso é a artista e perfomer, Travis Alabanza) no Buzzfeed tudo aconteceu quando se dirigia para os provadores e lhe foi dito que tinha de usar os que estavam destinados a homens. «Não me vou sentir segura lá. O que querem que eu faça?» respondeu à funcionária da loja em questão.

A acusação foi feita pela própria através do Twitter onde escreveu: «Hey a @Topshop acaba de me fazer passar por uma experiência de transfobia na vossa loja de Manchester. Não me deixarem usar o provador que eu quero usar é um m***, resolvam a situação»

 

 

Pouco tempo depois, a loja respondeu a uma outra publicação de uma cliente descontente afirmando que a sua política havia mudado.

 

 

À edição britânica da Cosmopolitan, um porta-voz da marca anunciou que «De agora em diante todos os clientes são livres de usarem todos os provadores, em ambas lojas Topshop e Topman», acrescentado ainda à Harper’s Bazaar que esta medida «se estendia a todas as lojas espalhadas pelo mundo do grupo Topshop».