Escândalo Harvey Weinstein: Atrizes de Hollywood Reagem à Polémica

Jennifer Lawrence foi uma das que se insurgiu a favor das vítimas de Harvey Weinstein, o influente produtor. Por: Joana Moreira -- Imagens: © Gtresonline

Harvey Weinstein, o influente produtor de Hollywood responsável por O Discurso do Rei, O Paciente Inglês ou A Paixão de Shakespeare, está envolvido num escândalo de assédio sexual. A investigação do The New York Times revelou que, nos últimos 30 anos, o produtor foi acusado, por diversas mulheres, de assédio sexual. A mesma publicação avança que terão sido fechados acordos com oito mulheres, mantidos em sigilo e com valores entre os 80 e os 150 mil dólares. Entre atrizes e assistentes, todas acusavam o produtor de pedir massagens ou favores sexuais a troco de as ajudar a subir na carreira.

Weinstein começou por negar grande parte das acusações, mas acabou por anunciar que se iria afastar da própria empresa para recorrer a tratamento. «Admito que a forma como me comportei com colegas no passado causou muita dor e peço sinceramente desculpa por isso», disse num comunicado enviado ao jornal norte-americano.

Onda de solidariedade entre atrizes

As acusações contra o produtor geraram uma onda de apoio para com as vítimas. Nas redes sociais, foram muitas as atrizes que expressaram solidariedade com as mulheres que sofreram durante anos em silêncio.

A criadora de Girls, Lena Dunham, escreveu: «a mulher que escolheu falar sobre a experiência de assédio pelo Harvey Weinstein merece o nosso aplauso. Não foi divertido ou fácil. É corajoso».

Já Jessica Chastain revelou já ter conhecimento prévio da situação. «Fui avisada desde o início. As histórias estavam em todo o lado. Negar é criar um ambiente para isto acontecer outra vez».

De outra geração, Judi Dench, que esteve envolvida com Weinstein em diversos projetos, disse à CNN: «apesar de não ter dúvidas que o Harvey Weinstein me ajudou na carreira nos últimos 20 anos, desconhecia completamente estas acusações que são, como é óbvio, horríveis. Ofereço a minha compaixão àquelas que sofreram e todo o meu apoio às que falaram».

Jennifer Lawrence, que também já trabalhou com o produtor, disse à Variety: «Fiquei perturbada com as notícias sobre o comportamento do Harvey. Trabalhei com ele há cinco anos e não senti nenhum tipo de assédio pessoal, nem sabia destas acusações. Este tipo de abuso é indesculpável. O meu coração está com todas as mulheres afetadas por estas ações nojentas. Quero agradecer-lhes por terem a coragem de falar».

A atriz Meryl Streep foi uma das últimas a pronunciar-se. Streep, que chegou a mencionar Harvey em vários discursos de cerimónias de prémios, condenou o abuso de poder do produtor. «As tristes notícias sobre o Harvey chocaram todos aqueles que apreciavam o seu trabalho. As mulheres corajosas que se fizeram ouvir são verdadeiras heroínas», disse ao Huffington Post.

Sobre a importância de os homens se pronunciarem 

Mark Ruffallo foi um dos poucos homens que insurgiu no Twitter. «Vamos ser claros, o que o Harvey Weinstein fez foi um nojento abuso de poder e horrível. Espero que estejamos agora a ver o fim desses abusos», partilhou o ator.

E se dúvida houvesse sobre a importância de também os homens falarem sobre o assunto, Mindy Kling explica: «Porque é que ajuda que os homens falem? Porque é isso que esta pessoa mais teme: a desintegração do apoio tácito masculino deste comportamento».